terça-feira, 29 de abril de 2014

O EASY eh facil!!!!!

Meninas,

Para quem estava acompanhando meu perrengue, finalmente encontro um final feliz. No feriado deixei a Be numa rotininha deliciosa. Durante a semana, a fofa da baba baguncou tudo. Na quinta a noite, rolou o maior b.o. aqui em casa.
Sai a tarde, e quando voltei, notei no caderno que:
- a baba tinha dado 150ml de leite as 3 da manha, coisa que ja nao faziamos ha tempos;
- pelo segundo dia seguido, ela tinha inserido uma mamada extra as 10 da manha;
- e por efeito domino, tinha mudado os horarios das mamadas seguintes.

Li, olhei, suspirei e disse para ela: pois eh, acho que nao posso sair de casa que a rotina desanda. Isso, isso e isso nao deveria ter acontecido, mas amanha ficarei em casa para que o terceiro dia (o que consolida maus habitos) nao venha a acontecer.
Como nao gosto de bater boca, apenas disse isso e sai.
Tinha academia, sai de casa e nem avisei... a verdade eh que eu tava puta... O que foi otimo, me acabei no transport!!! rsrsrsrsrsrs
Quando voltei da academia, falei para a baba:
- olha, essa noite vamos dar agua, colo, o que for, mas evitar dar leite de madrugada, o que seria um passo atras. Estou muito chateada por ter dado esse passo para tras nessa noite.
- Thais, nao eh isso que esta te deixando chateada, e sim o fato da beatriz nao ser um robo e nao dormir e comer nas horas que voce pre-estabeleceu. (ela eh sempre muito petulante)
- de fato. Nao teria essa conversa com vc agora, mas ja que tocou no assunto... Desde que vc foi contratada, mudei muito de ideia, opiniao e estrategia, mas a unica coisa em que eu nunca abri mao foi da rotina, muito importante para mim. E ela estava linda, redondinha, na rotina certinha nesse feriado. E em dois dias.... vc tiru-a da rotina que eu tinha criado. E embora eu sendo leiga, eu consigo coloca-la nos horarios no fim de semana, e voce, que e do ramo, nao consegue. Isso realmente esta me tirando do serio.
- Se vc nao esta contente, me fale logo. Estou dando meu sangue e me esforcando, mas se nao eh o bastante para vc....
- Olha so, se nao esta bom para vc, nem temos que ter essa conversa.
- Ja veja outra pessoa, Thais.
- Eu nao sou o tipo de pessoa que fica trocando de baba, nem que fica atras dando bronca. Odeio dar bronca e odeio entrevistar. Entao estou te falando o que eu quero. Agora, se aqui nao esta bom para voce, realmente nao tem o que ser conversado. Nao vou pegar outra pessoa, simplesmente ficarei sem. Veja, se para vc nao estiver bom... pode ir.
E o telefone tocou, e depois foi a hora do banho.... e a conversa ficou assim.

 Depois disso, seguimos a rotina e na sexta feira, seguimos a risca os horarios. Sabado e domingo, tudo certinho....
Entao ficamos assim:

6:00 - mamar
7:30 - dormir 1,5h
9:00 - mamar
10:30 - dormir 1,5h
12:00 - mamar
13:30 - dormir 1,5h
15:00 - mamar
17:00 - dormir 40min a 1h
19:00 - massagem, banho de diva, mamar e dormir.

23:00 - mamada dos sonhos
se acordar no meio da noite, agua, colo e chupeta.

Sei que ja publiquei essa rotininha antes, mas insito em publicar de novo pelo seguinte: notem que o intervalo entre mamadas eh de 3h e as sonecas sao de 1,5h. E impressionante como ela dorme rapido se eu a coloco no berco apos 1,5h de acordada. 2h de intervalo no maximo.
O que sugiro para quem esta tentando a rotina eh: divida ao meio o intervalo entre mamadas e coloque o bebe para dormir. Se os intervalos sao de 2h, coloque o bebe ao menos 1h por bloco para dormir. Vai acostumando o bebe a rotina mamar, brincar, dormir e aos poucos vai esticando o tempo dos intervalos.
Eh impressionante como o bebe fica mais calmo e tranquilo, realmente sabe o que esperar quando esta na rotina.E eh bom para o bebe e para os pais, porque eu posso hj dizer se eh fome (sei que horas ela come), se eh sono (sei que horas ela dorme), manha (sei que ela eh manhosa pra caramba) ou dor.
E dai vcs me dizem: um bebe que dormiu 3 sonecas de 1,5 mais uma hora a tarde (5,5h no dia) nao vai ter sono pra noite. Sim, vai ter. As mini sonecas nao foram reparadoras. A bebe descansa para aguentar mais outro bloco, mas nao o suficiente para acordar a noite.
As noites de sexta, sabado, domingo e segunda foram das 19:30 as 5-6:00. Houveram noites em que ela aacordou, nem tirei do berco. Arrumei a chupeta e ela voltou a dormir.

Para quem esta tentando colocar na rotina, segue uma observacao: o bebe deve ficar acordado 1,5 ate 2h (para rotinas de 3/3). Nao ultrapasse isso, senao ele vai ficar hiperestimulado e dai fica dificil demais colocar o bb para dormir.
Entao, digamos que o bebe tenha acordado as 5:00, e vc esticou ate as 6:00 para mamar,para nao baguncar a rotina. Coloque ele para dormir as 7:00 (duas horas de acordado) e se ele dormir ate as 9:00, deixe. Ajeitou a rotininha. Se ele dormir ate as 8:30, de a mamada as 9:00 e coloque-o para dormir as 10:30.
Nao deixe dormir mais que 2h (na rotina 3/3), isso podera baguncar a rotina.

La atras, vcs me viram surtando. Vivenciaram eu desconjurando esse metodo. Eh dificil de aplicar? Sim. Mas hoje que a Be esta na rotina, posso afirmar: vale a pena.
Claro que ainda tenho muito chao pela frente. Ainda bato boca com a baba, ainda tenho que velar o sono da be (ela desperta no meio da soneca, vou la e ponho a chupeta de novo), mas estou muito satisfeita com o que consegui.

Minha dica eh comecar pela repeticao da sequencia.
Depois, inserir elementos do sono (chupeta, naninha, ritual do sono), o que vai ajudar o bebe a sinalizar a hora das sonecas.
Entao, fazer a rotininha e aos poucos aumentar os intervalos.

=)
 

quinta-feira, 24 de abril de 2014

Rotininha pos feriado

O feriado da pascoa passou, e sobrevivi!!!!
Na verdade, foi maravilhoso, sabiam???

Estava super preocupada o que seria de mim nos 5 dias sozinha com a bebe, aqui em casa. E percebi que foi muito melhor que sequer imaginei.
Os primeiros dias e noites foram cansativos. Mas logo impus uma rotininha com a qual estava muito contente. Eis:
6:00 mamar, trocar e voltar para o berco. Alguns dias ela chorou, em outros dormiu.
8:30 tirava do berco (porque eu acordava) e entao clareava o quarto e comecava o dia. Dava um passeio rapido...
9:00 suco de frutas
10:30 soneca de 1,5h
12:00 mamadeira
13:30 soneca de 1,5h
15:00 mamadeira
16:30 soneca de 30min
18:30 ritual da noite: banho de diva e mamadeira
19-19:30 hora de ir dormir
22:30-23:00 mamada dos sonhos
4:00 acordava para brincar, e ficava sozinha brincando no berco

Tudo perfeito!

Estava muito contente com isso....
Mas na terca ela estava com dor de ouvido e nao quis mamar direito... (ja passou)
Na quarta estava com uma fome de leao e acabamos dando mamadas extra as 10:00 e as 4:00
E hoja, quinta, esta fazendo muito coco, e bem liquido (o que eh completamente anormal para ela).... ja estou completamente desanimada.

Sai as 10 da manha, e voltei as 15:30.
deixei a beatriz dormindo, mas parece que ela logo acordou. Ao inves de voltar a dormir, a baba deu novamente outra mamadeira as 10:00... (de novo, reforcando um habito ruim)
e dai mamou as 13:00 (afundou a mamada das 12:00)
e quando cheguei as 15:30, ela estava dormindo desde as 13:30, e nao quis mamar.

sei que minha bebe eh dificil, so faz o que quer.... mas fico com a leve impressao de que se eu estivesse aqui, teria seguido a rotina. eu tenho interesse em seguir a rotina, e parece que a baba tem prazer em desfazer.

Me sinto escrava.
parece que nao posso sair de casa... se eu sair, tudo desanda.
Desanimo.

Vontade de ficar sozinha, de mandar a baba embora, de mandar tudo para a PQP.

terça-feira, 22 de abril de 2014

Lixa de unhas eletrica

meninas,

uma dica...

aqui em casa sempre cortei as unhas da Beatriz com tesoura; Embora complicado, nunca foi nenhum caos. Ela ate que fica paradinha, mas sempre ficava uma pontinha que machucava o nariz dela. Comprei pela amazon essa lixa de unhas eletrica:

Foi baratinho, pedi para meu tio que estava nos EUA me trazer, e adorei. Indico super.

Cada fase do bebe tem uma lixa especifica, entao vem no rosa (RN) e vc vai trocando o disquinho conforme o bebe cresce e a unha fica mais dura.
Faz cosquinha, mas a Be fica paradinha, acho ate que gosta. Achei otimo para os cantinhos.

Pico e salto de crescimento

meninas,

extrai do blog da encantadora essas tabelas que acho interessantes de compartilhar.
A Encantadora de bebes diz que temos duas situacoes onde a rotina parece desandar. Uma eh o pico de crescimento, e a outra o salto. Cada bebe tem uma reacao, alguns um delay, mas achei interessante para nos prepararmos para a fase ruim. O bom eh que duram poucos dias, e depois tudo volta ao normal.



segunda-feira, 14 de abril de 2014

Segunda noite que eu acordo ela e....

... esta dando certo!!!

Ontem o dia foi otimo!!!
mantivemos nossa rotininha, sendo que ela dormiu ate as 7:30, depois um cochilo de 30minutos as 10:00, depois do banho hibernou 3h das 12:00 as 15:00, tomou suquinho de pera (oooowwwwnnn) e ainda tirou um cochilinho de meia hora ate as 18:00.
Dai vc pensa: putis, e a noite???
O chilique chegou pontualmente as 19:00, sendo que as 19:15 me rendi e dei o banho, e as 19:20 ela estava beirando o descontrole ja! Foi uma batalha ela aceitar a mamadeira*, mas mamou tudo e as 19:40 ela estava no setimo sono.
Obvio que isso me preocupou, mas aprendi que nao adianta lutar contra o sono da Beatriz.
As 23:00 levantei e dei a MDS, com ela dormindo.
As 2:00 levantei para acorda-la. Me cortou o coracao. Queria acender a luz para tirar uma foto, como dormia gostoso a minha princesa. De ladinho, com os bracinhos esticados, com a naninha em uma mao. Dormia profundamente. Tive que mexer MUITOOOO nela para ela resmungar, apelei para os pes. Depois, ajeitei ela novamente e voltei a dormir.
Deu certo. Que loucura, acordar para dormir.
Ela despertou as 5:30, sem chorar. Levantei e ela estava la, conversando com o mobile. Troquei, dei a mamadeira, voltei no berco. Ela nao tinha dado nenhum sinal de que estava com sono, mas EU estava. rsrsrsrsrsrsrs Ela dormiu as 6:00, em 15minutos, com umas 3 intervencoes minhas.
E foi acordar as 8 da manha.
Talvez eu devesse ficar feliz se ela dormisse das 8 as 8 sem as mamadas das 23 e das 5, mas estou genuinamente feliz com essas duas interrupcoes. Ja foi pior, muito pior. Hoje em dia me contento com o fato dela nao dar piti no meio da noite, com o fato de eu poder dormir ate as 8, ainda que eu tenha acordado diversas vezes a noite.
Se um dia ela vai dormir de fato "a noite toda"? Espero que sim.
Ate la, ja estou feliz com duas pequenas intervencoes.

*ela entra numa de "eu so quero dormir" e nao aceita nada, nem dormir. Fica tao irritada, que se descontrola. Chora, se debate, da gritinhos. A tecnica que estou usando eh a seguinte: nessa ultima mamada, ja deixo a chupeta e a naninha proximas. Ela entao comeca a mamar, mas com a mao empurra a mamadeira e chora, se debatendo.
Nessa hora eu a acalmo com a chupeta, e coloco a naninha sobre as maos, de forma que eu seguro os bracinhos. Ela vai entao se acalmando aos poucos, e entao tiro a chupeta e recoloco a mamadeira, com naninha coladinha a ela.
Costuma funcionar.
Mesmo com as sonecas do dia, essa tecnica de segurar os bracinhos com a naninha anda funcionando bem, viu? Se o seu bebe da pitis.... arrisque fazer assim!

domingo, 13 de abril de 2014

Tratamento da amiga

Meninas,

por algumas vezes ja comentei aqui que tenho uma grande amiga. Muito amiga mesmo. Alias, uma vez ela me pediu o endereco do blog, e eh possivel que ela venha a ler isso. Se estiver lendo...  Se nao ler, estou escrevendo porque quero desabafar e porque quero a opiniao de vcs.
Bem, como disse, essa amiga eh muito amiga. Uma querida. Amiga de todas as horas. Sempre confiei nela.
Ela inclusive sempre soube dos perrengues dos tratamentos.
Exceto o ultimo, em que eu estava cansada demais para dividir.
O fato eh que embora sao paulo seja uma cidade imensa, tem horas que parece que moramos numa ervilha. Descobri essa semana que ela esta fazendo tratamento para engravidar.
Me senti traida.
Nao acho que ela seja obrigada a me contar, a dividir, como fiz com ela. Entendo que tem pessoas que preferem passar isso no silencio. Mas sinto nao poder ajudar, nao poder dar a ela todo o carinho e atencao que dou para vcs, que muitas vezes nem chego a conhecer.
E me questiono o que ela me dira quando conseguir engravidar. Vai ter a cara de pau de me dizer que transou sem camisinha??? Vai posar de deusa da fertilidade para mim????????
Doi pensar que uma amiga aja assim.
Eu nao agiria.
Nunca fiz isso.
Fazer o tratamento nao nos faz anormais, imperfeitas, ou defeituosas. Nos faz, pelo contrario, mais mulheres, mais humanas. Nao ha nada mais corajoso do que expor os sentimentos, as vulnerabilidade.
Eu questiono a cada uma, que leitora do blog provavelmente ja passou ou passa pela montanha russa que eh o tratamento: como vc se sentiria no meu lugar? estou chateada a toa?
Como devo agir: me calar e esperar ela falar, ou questiona-la?
Minha confianca nela abalou, como seria com vcs???
Bjs

Dengue e mosquitos

Algumas cidades ja enfrentam o surto da dengue, doenca recorrente em nosso pais. E alem de fazer nossa parte (cuidando para que nao deixemos agua limpa parada dando sopa), nao ha muito mais como proteger nossos filhos.
Aqui em casa temos muitas arvores, e semmmpre tem um pernilongo esfomeado, entao ja temos o tempo todo aqueles protetores de tomada (raid e afins), mas eles soltam veneno no ar, e nao eh o ideal. Passar repelente nos bebes, somente os adequados, e para criancas acima de dois anos, se nao me engano.
Entao seguem duas dicas bem legais para proteger nossos pequenos:


Esse repelente eh indicado para a roupa. Meu pediatra (dr mario) quem receitou, e faco assim: quando separo a roupinha antes do banho, borrifo na roupa e deixo secar enquanto dou banho na be. Nao fica cheiro forte, seca rapido, e funciona.
Recomendo super!
Paguei R$60,00 na droga Raia.

 Outra alternativa eh essa joaninha:
Essa eu nao tenho por causa da minha cachorra, entao nao sei dizer se funciona, mas certamente eh um aparato menos toxico que o spray. Voce liga a joaninha que emite um som imperceptivel que espanta os mosquitos, e prende a joaninha no berco ou carrinho, onde o bebe estiver.
Custa em torno de R$50,00 e esta a venda na BB Trends e na Bicho papao.

Fraldario

Admiravel mundo novo.
E assim que descrevo as minhas descobertas nesse mundo paralelo chamado mundo mae.
Fomos ontem pela primeira vez no shopping com a bebe. Tinha ido na segunda com a baba, mas nao conta.
Infelizmente nao dispomos de vagas especiais (o que seria de grande utilidade, visto que temos que ter acesso a porta de tras para pegar o bebe no bb conforto e tambem ao porta malas, para retirar o carrinho), mas ta valendo.
Ate porque, em tese vc nao precisa levar nem o bb conforto nem o carrinho ao shopping. Todo o shopping (pelo que me consta) tem um sistema de emprestimo no fraldario. Eles emprestam um carrinho para vc andar no shopping com seu bebe. Caso vc queira descer com ele no colo, apenas leve um a fraldinha ou cueiro para ele sentar no carrinho emprestado.
E ontem fomos no shopping JK, que eh considerado um shopping chique aqui em sp. Donabe mamou, e antes de ela tirar um cochilo no balanco das lojas, eu fui no fraldario trocar ela.
Fiquei intimidada de tirar mais fotos, entao seguem as fotos que tirei:

 Nao tem custo algum. basta chegar com seu bebe, estacionar o carrinho e a moca te direciona ate um quartinho. Cada quarto conta com um trocador, pia, cadeirao, poltrona e mimos como papel toalha, lenco umedecido e agua mineral. Muito conforto, carinho e privacidade.
Achei o maximo!


Acordar para dormir

Bem meninas,
Hoje eh domingo, e ontem (sabado) fiquei sozinha com a Be o dia todo.
A baba faz sim muita falta, mas vou admitir que amooooo ficar so nos tres no final de semana. Alias, nos quatro, porque sem a cachorrinha a familia nao estaria completa.
Como faltou luz em casa, fomos almocar fora, passeamos, e posso dizer hoje que simmm, temos rotina.
Nao sou mais britanica como ja fui, mas meninas, com a rotina vc sabe o que esperar do bebe, fica mais facil de "adivinhar" sono, fome, cansaco. Percebi que com 2 horas acordada, a Be fica chatinha. Ainda que tenha sido 20minutos, ou 2horas, se ela acordou as 8:30, as 10:30 ela estara cansada. Putis, 11:00 tem mamada. E dai??? Deixa ela dormir! Esse horario nao costuma passar de uma hora!
Entao temos algumas variacoes de horario, e algumas rotinas.
E uma das rotinas eh: acordar as 4 da manha para.... balada!!!
Ja faz mais de um mes que esse padrao chegou, e veio para ficar.
A variacao eh acordar as 3, e ir dormir entre 5 e 6 da manha.
Ja tentei o deixa chorar, e acho que ele tem suas vantagens. No caso da Beatriz, cai a chupeta e ela comeca a chorar. Vc vai e poe, resolveu a questao. Mas tem vezes em que ela nao quer a chupeta de volta, e sim que vc a tire do berco. Entao ela cospe ou tira com a maozinha, e abre o berreiro. E se vc voltar a chupeta, ela tira na hora. Dai deixo chorar dois, tres minutos. As vezes ela repete e deixo ate cinco minutos. E quando depois de um show de cinco minutos eu coloco a chupeta, ela aceita, magoada, com lagrima nos olhos e volta a dormir.
Entao o "deixa chorar" funciona para a Be se acalmar e perceber que nao vou tirar ela do berco. Quando o caos esta instalado. Mas ele nao evita que ela acorde cedo demais.
A encantadora indica o "acordar para dormir", e essa noite arrisquei ele. Ainda e cedo, mas por hoje, deu certo.
As duas da manha (o certo era as tres, mas despertei sozinha as duas e antecipei) fui no quarto. A autora indica que a bebe acorde de leve, reclame, abra um pouco os olhos e entao volte a dormir. Futuquei, mexi, ela reclamou, mudou de posicao, e quando fui mexer nos bracinhos, notei que os bracinhos estavam frios. Como estava chovendo, tinha esfriado um pouco.
Encarei a tarefa de colocar um casaquinho nela. Ela nao abriu os olhos, mas chorou sentiiida, coitada. E assim que terminei, voltei e a chupeta e arrumei ela, que continuou dormindo.
Acordou as 5 da manha, cuspindo qualquer tentativa de chupeta. Fome mesmo.
montei a mamadeira (ja deixo tudo no esquema), deitei ela no colo, fui dando o leite, ela fechando os olhinhos, nossa, sou um genio!!! Eis que notei que a mamadeira estava melada de leite. A mamadeira tem uma rosquinha azul, que eu por engano nao tinha colocado. A bebe estava quase dormindo, era so coloca-la no berco de volta, mas estava ensopada de leite. Grrrrr que raivaaaaa
Terminou de mamar, peguei outra roupa, troquei ela (nao limpei, apenas sequei) e coloquei-a no berco. Um pocket show de uns 15minutos, e estava dormindo novamente. E esticou ate as 7:30 da manha.
Fiquei muito satisfeita.
Essa noite vou desperta-la novamente, e assim por tres dias. E esperar para ver se ela vai parar de acordar as 4 da manha. Tomara!!


quinta-feira, 10 de abril de 2014

Exame de urina

Meninas,

ja comentei que o meu medico pediatra eh demais ne? E tambem que ele eh particular e custa os olhos da cara??? Pois eh. Dai, resolvi ir num outro medico, indicacao de uma amiga e tcharaaaam, do plano! U-hu!
Fui no tal doutor Labib Taiar. O consultorio fica no itaim, fui atendida bem rapidamente. Ele foi meio secao, mas eh complicado quando queremos avaliar um profissional numa primeira consulta. Ele nos solicitou exame de fezes e urina.
E la fui eu fazer os exames.
Uma aventura.
Cheguei no laboratorio sem saber o que esperar.
O negocio eh o seguinte:
tem que ser colocado um coletor de urina na bebe, como esse daqui;
A parte branca tem um adesivo, que deve ser colocado na piriquita da bebe, que deve ter sido super higienizada. Dai ela vai fazer o xixi e vc recolhe o saquinho. Facil ne?
O saquinho pode ficar nela por ate 40 minutos, entao reze para que ela faca xixi nos 40minutos. Para minha alegria, ela fez. Agora so falta o de fezes.
Para o de fezes, o mesmo esquema, porque nao pode misturar fezes com urina, entao tenho que colocar o tal saquinho coletor e esperar 40 min, olhar a fralda e trocar, colocar outro, 40 min... Ah, e isso em uma bebe que nao tem dia ou hora para fazer coco, ta gente?
Ainda nao consegui fazer o exame de fezes. Humpf.
Mas o de urina ja chegou o resultado, e deu uma alteracao. Deram uns leucocitos na urina, o que segundo o dr google, eh infeccao urinaria.
To super preocupada. Mandei um email para o medico. Esperando resposta.
Que do da minha pequenina.

quarta-feira, 9 de abril de 2014

Vacina

Meninas,

faco parte de um grupo no whatsapp com as amigas do ef. A maioria de nos ja conseguiu engravidar, e vamos trocando dicas e informacoes. E ontem fui dar a vacina na Be ja sabendo o que esperar. Dai pensei: preciso alertar as meninas do blog!!!
Em primeiro, onde dar as vacinas ja eh uma duvida.
O meu medico, que eh particular, da no consultorio. Mas nossa, a consulta dele ja eh os olhos da cara (eu acho), entao eu descartei essa hipotese.
Posto de saude seria a minha opcao, ja que eu tenho aqui perto de casa um postinho otimo! A vacina da gripe de gravida eu tomei la, sem fila, super limpo e organizado.
Mas eu dou num laboratorio que o meu plano cobre. Alias, merecia um post esse laboratorio!!! O laboratorio se chama Alta, eh uma linha ultra top do Delboni. Tem uma casa chiquetesima na Brasil com a Reboucas e uma outra de tijolinhos na republica do libano, bem na entrada do parque. (essa, que fique bem claro que para mim eh uma das casas mais bonitas da cidade)
Me lembro quando lancaram o laboratorio, que li resenhas do tipo: "voltado para publico phyno" "servem cafe em xicaras e as colheres sao de prata". Na epoca, ainda tirei sarro com o marido, disse: "po, a gente vai no einstein e encara os copinhos de plastico. Vou nesse laboratorio so para beber na xicara"
Bem, dito isso, liguei no meu plano de saude e perguntei onde eu poderia dar as vacinas da minha filha, onde o plano cobria. "no laboratorio alta". La fui eu. (toda feliz, me sentindo a tal, nao vou mentir)
Sempre fui muito bem atendida la. Mil mordomias, laboratorio vazio, valet, atendente exclusiva para vc, vacinas super bem armazenadas, mostram os lotes, cuidam da minha filha, e o cafe. Ah, o cafe..... eu me vendo facil pelos cafezinhos dos laboratorios. Sim, servido em bandeja de prata, loucas, talheres de prata. Phynissimo.
E cada vez que converso com amigos ou com medicos, eles me perguntam: "e onde vc esta dando as vacinas?" e respondo "no laboratorio alta" eu tenho que administrar uma cara imensa de interrogacao. ninguem nunnnnnca ouviu falar nas minhas loucas e talheres de prata!!!! kkkkkkkkk Na ultima consulta, Dr Mario parou, olhou e me perguntou de novo: "onde???" kkkkkkkkkkkkkk
Bem, mas a minha dica aqui vai muito mais alem do que as loucas do cafezinho do laboratorio.
A cada mes temos que vacinar nossos bebes.
A primeira vacina foi dada no nascimento. (e inclusive ninguem me avisou que ela estava chatinha por isso) Depois, a cada mes, temos que dar as outras vacinas. Tem meses que sao varias, outros meses que sao poucas. Varia.
As vacinas de dois meses foram uma gotinha e injecao. Doeu pra caramba, ela teve febre e ficou chatinha.
Com tres meses foi bem mais tranquilo!! Ela nao teve febre, brincou no final do dia e dormiu bem a noite.
E a de 4 meses, ja sabia que era uma vacina mais dolorida e chatinha. Ela tomou as gotinhas (que sao docinhas, ela ate gosta) e depois uma injecao em cada perninha. Um grito doido, ficou com o rostinho vermelho. Saiu chorando, magoada. Nem aproveitamos o cafe rsrsrsrsrs
E essa noite foi tensa, teve febre, fez coco na madrugada (o que eh horrivel, porque evitamos sempre de trocar o bebe na madrugada, entao torcemos sempre pelo coco de dia) e acordou ainda febril.
A reacao pode ser de ate 72horas.
Alias, outra dica: escolham um dia da semana que vcs tenham ajuda. Eu sempre dou na segunda ou terca feira, porque ate o final de semana ela ja estara melhor, e eu conto com a ajuda da baba. Se vcs nao tem baba, e contam apenas com a ajuda do marido, deem na sexta feira.
Cada vez que a levo para vacinar, prometo que vou eu mesma defende-la dos virus... porque eles sofrem muito!!! Mas como isso nao eh possivel..... todo o mes eu volto la, no Alta. Eu e minhas loucas de porcelana!

segunda-feira, 7 de abril de 2014

Nova tecnica

Bom dia meninas.

Mil teorias, mas na pratica sao outros quinhentos ne?
Estou no fim, seguindo a tecnica da Thais! Juntei tudo o que li, com o que acho, o que sinto e o que quero. E estou seguindo a minha tecnica!!!!!!
Quero horarios fixos? Sim!
Quero sonecas? Sim!
Quero mamadas com mls previsiveis? Sim!
Quero noites bem dormidas? (e aqui leia-se 10 horas sem nheeee) Sim!
Terei tudo isso? Bem... daqui a muitos meses, com certeza.

...descobri que dormindo as sonequinhas, Beatriz se tornou um bebe mais calmo e feliz.
...descobri tambem que ter horarios fixos eh otimo para todos. Ela sabe que vai mamar e tem fome nos horarios. E e posso me programar. Mas infelizmente, nao tenho como ser inglesa. Mamadas das 11:00 significa muitas vezes, que ate as 11:40 estarei oferecendo leite.

O coco dela esta mais frequente, e isso tambem ajuda muito.

Ela permanece com o suquinho as 9:00, e hoje foi laranja com beterraba. Ela amou!!! Minha filha ainda nao recusou nada que ofereci!!!
Amanha volto para a laranja lima, e quarta ate sabado, laranja com beterraba. Isso para ir devagar e analisar se ela reage bem. Se houver alguma reacao, aos poucos poderei analisar.
Segunda que vem teremos suco de laranja com cenoura.

Essa noite ela acordou das 4 as 6 chorando, sem a chupeta. Fui no berco oito vezes, coloquei a chupeta, ajeitei a nanninha e disse: "eh madrugada, vamos dormir". Tentei esperar um pouco mais a cada vez que eu ia. Na ultima ida, demorei 3 minutos. E ela dormiu ate as 7:30, quando comecamos o dia.
Nao importa quantas sonecas ela tire, as 19:00 ela fica insuportavel!!! Nada ta bom. Seguro ate as 19:30, quando dou o banho de diva, mama e dorme, placidamente nos bracos de Morfeu. Ela apaga.
Pode nao estar otimo, mas esta funcionando. Eu estou sobrevivendo, e ela esta crescendo saudavel e feliz.

sexta-feira, 4 de abril de 2014

4 meses

Meninas, essa dai sou eu..... rsrsrsrsrsrs
Arrumei nossa pequena para tirar foto hoje cedo. Aqui ta o maior frio, mas fiz questao de usar esse vestidinho que ela ganhou de um casal querido.
Hoje comemoramos 4 meses da nossa pequena grande Beatriz, com muita saude e alegria. A cada dia sinto-me mais mae. Aprendi a reconhecer os choros, as caras, o jeito dela. Hoje sei quando eh fome, sono, manha, dor. Claro que ainda levo muitos bailes, mas aprendi tanto em tao pouco tempo!
Parabens, minha pequena! Que venham muitos meses, muitos ano de vida!

quinta-feira, 3 de abril de 2014

Que Abril nos traga...

Que esse mes de Abril seja um lindo mes para todas.
Para a querida Dri, que inicia o tto; Para a querida Cata que tera seus embrioes aprovados, e para tantas outras que vao comecar o tto e a luta pelo sonho de ser mae.
Para as leitoras que ja sao maes, que esse mes marque lindas conquistas: noites bem dormidas, bebes sentando, engatinhando, descobrindo o mundo.
E porque eu estou dizendo isso?
Porque estou descobrindo que temos que ter muita paciencia. Conosco e com todos ao redor. Essa eh uma das muuuuitas coisas que a maternidade me ensinou. Minha filha tem so 4 meses (quase 4), mas me ensinou tanto em tao pouco tempo!!! Percebi nesses dias de leituras, tecnicas e estrategias, que as coisas vao se ajeitar.
Sei de maes com filhos maiores que os bebes ainda mamam de hora em hora, a cada 3 horas. E qual o problema de Beatriz? Ela dorme oito horas seguidas... acorda na madrugada para conversar e fica irritada no final do dia.
Talvez eu aplique mil tecnicas e isso passe com o tempo. E talvez nao passe. Talvez ela seja assim. Talvez seja o bioritmo dela. E se for????
Meu D'us, quantas maes acordam, assim como eu, as 4 da manha? Mas tantas acordam e nao tem seus filhos com saude. E a minha esbanja saude a ponto de querer farrear! Reclamar do que?!
Podemos melhorar? Sim!!! Muito!!!
Desisti? Nunca!
So estou pegando mais leve, so isso.
Me esforcando para que ela durma mais de dia (resultado do artigo do efeito vulcanico), nao deixando que ela chore sozinha, dando cada dia mais dengo, carinho, colo e amor. Com o tempo vou aprender qual o melhor horario para ela tirar uma sonequinha e um sonecao. Hoje em dia, estimulo as sonecas e tento entender um padrao, para a partir do que ela fizer, estabelecer a rotina.
Nao, nao abandonei a rotina. Mas deixei de ser tao xiita.
Comigo e com ela.
video
Desde a semana passada, a Be tem tomado o suquinho de laranja lima dela as 9 da manha. Que alegria a dela... acho que para ela eh a melhor hora do dia! Isso, claro, quando um mini bagaco que escapou da peneira nao entope o bico da mamadeira rsrsrsrsrsrs Porque dai a bichinha fica nervosa!! kkkkkkk
Mas a laranja vem ajudando-a a fazer mais coco (agora um coco a cada dois dias. antes era a cada 4-5 dias), e esta tambem ajudando-a a imunizar contra essas gripes e refriados, comuns nessa epoca do ano.
O medico ja liberou as papinhas de frutas e sucos de legumes, mas permaneco sem pressa.
Uma semana so com a laranja, e na outra cenoura e beterraba.
E na outra comecaremos as papinhas.
Tudo devagar. No tempo de Beatriz. Como deve ser.

quarta-feira, 2 de abril de 2014

Deixar o bebe chorar?

Outro texto que li e que gostaria de compartilhar. (esse indicado pela Elaine Resende Sklorz)

A mãe passou 9 meses sonhando com a chegada do filho, preparando o ambiente para recebê-lo. Comprou um berço lindo, seguro e confortável, pronto para aquecê-lo quando chegasse, onde ele dormiria como anjo em suas sonecas diurnas e no longo e profundo sono noturno. Providenciou um pijaminha quentinho, que o ajudaria a dormir mais relaxado. Ganhou CDs de músicas para bebês, que sonhava em colocar para embalar o sono da cria.
Ela sonhava com uma rotina pós-nascimento linda: banhos de sol todos os dias (já reparou como nos sonhos não chove?), mamadas frequentes e abundantes, brincadeirinhas fofas, beijos, abraços, muito amor, o banhinho de fim de tarde, o pijaminha quentinho, o embalar para dormir, a música tranquila, a mãe cantando uma suave canção de ninar enquanto embala docemente seu bebê que, aos poucos, fecha os olhinhos e simplesmente dorme. Sonho perfeito: o bebê relaxa, dorme, tranquilo e feliz, até o dia seguinte, enquanto sua mãe aproveita o horário noturno para um tratamento de beleza, um retoque nas unhas, um livrinho bacana, um filme divertido, um estudo mais profundo ou um chamego com o companheiro.
Então, enfim, chegou o bebê.
E, junto com o bebê, chegou a vida real, pra acabar com tudo.
Tchau, sonho, um beijo pra você!
Por que raios a vida insiste em se meter nos nossos sonhos?! Nunca dá muito certo isso.


E então os planos não saem bem como o esperado e, de repente, o bebê não quer dormir.
Ele simplesmente quer ficar acordado com sua mãe, em seu colo quente e confortável, porque, afinal, ela é seu porto seguro e ele ainda não sabe que depois do dormir vem o acordar, que o devolverá a mãe que o sono levou. Ele sabe, apenas, que "DORMIU = SEPAROU".
Com a recusa do bebê em dormir, lá se foi para a Terra do Nunca o sonho feliz de Pollyanna.
Polly - vou chamá-la carinhosamente, porque acredito que ela habite em quase todas nós, ainda que se esconda bem - começa a se questionar sobre o que está fazendo de errado.
Será que mamou demais?
Será que mamou de menos?
Será que é a fralda?
Cólicas?
Coceira?
Dor em algum lugar?
Ansiedade?
Será um "bebê high need"? - não gosto muito desse nome, mas voilá.
"O que está acontecendo com meu filho?!"
Então, aquela amiga super experiente em assuntos de maternidade, ao saber que o filho de Polly não quer saber de dormir no horário e na rotina estabelecida (no sonho), que não quer saber de se comportar e de aceitar a rotina da família, prepara sua voadora, pega impulso, sai correndo e PÁ!, acerta em cheio, com os dois pés, o peito cheio de leite de Polly. E dispara (sem nem que alguém tenha pedido sua opinião): "Polly, amiga, meus filhos dormiam a noite IN-TEI-RI-NHA! Isso é MANHA, minha filha. Você precisa ensinar esse menino a dormir!".
E então, Polly se sente ainda pior...
Outras amigas, na tentativa de ajudá-la (todo mundo quer ajudar), também palpitam: "Polly, amiga, esse menino está te manipulando! Está de manha, de birra! Você não pode ceder, com o risco de estar criando um pequeno tirano".
Além de se sentir culpada e de pegar trauma da palavra "amiga" dita logo após seu nome, Polly entristece...
Puxa vida, com que facilidade seu bebezinho se transformou de um bebê normal em um manipulador de adultos! Será mesmo seu filho um pequeno tirano? Um serzinho perverso? Que usa de manhas e artimanhas para manipulá-la? Que fica confabulando sobre qual a melhor estratégia para manipular a tonta da mãe?
Polly entra em crise:
"Céus! Terei parido Darth Vader?!"
Polly se deprime...
Passa a achar que seu filho não é "como os demais", afinal "os demais" (os de suas amigas) dormem a noite toda. De duas uma: ou ela está fazendo alguma coisa errada mesmo, ou terá que admitir: pariu o rei do lado negro da força. Um bebê indisciplinado, manhoso, birrento, manipulador.

Polly então começa a busca por aprender a fazer o filho dormir. E descobre que existem algumas técnicas divulgadas em livros que GARANTEM que o bebê dormirá facilmente em poucas noites.
Polly ouve e lê alguns comentários sobre esses livros, gente dizendo que "Funcionou! É um milagre!", enche-se de esperança, o compra, lê e começa a "domar o seu bebê", no melhor estilo "Como domar o seu dragão".
Então ela aprende que tudo bem deixar seu bebê chorar até aprender a dormir porque, afinal, "por trás de um filho que dorme tranquilo, há uma mãe que dorme tranquila". Polly já tinha ouvido algumas mulheres falando sobre os prejuízos de se deixar chorar para que se "aprenda" a dormir. Gente que pesquisava sobre o assunto e que sabia da existência de muitos trabalhos científicos comprovando os prejuízos do choro como forma de treinamento. Mas Polly não as conhece, como pode dar ouvidos a gente que não conhece?

"E essa história de ciência, vocês vão me desculpar, mas isso não serve pra cuidar de filho, não. E olha: até aquela grande revista já mostrou que não tem problema deixar criança chorar. Até parece que essa mulherada vai saber mais que essa revista, né? Estou tranquila, estou respaldada, vou continuar com meu plano. Afinal, o doutor pedí diz aqui no livro que é infalível e minha amiga disse que funciona, que é um milagre!".

Então Polly começa a colocar em prática o método de treinamento.
Mas aí acontece algo pelo qual ela não esperava: ela não se sente bem.
Não se sente bem porque aquilo, para ela, não parece natural.
Não faz sentido, considerando seus próprios valores, fazer um bebê "aprender" com base no choro. Porque o choro, oras, é um sinalizador de que algo não está bem! Como ignorá-lo? Ler é uma coisa, fazer é outra. Dói em seu coração saber que seu bebê está chorando na tentativa de mostrar que precisa dela, e ela não o atender.
Então Polly decide abandonar as regras ditadas e seguir seu coração.
Vai até o berço, olha para seu filho e sente: não, você não é Darth! Vem com a mamãe, Luke!
O pega com carinho, o aninha em seus braços, junto ao seu peito, e dá seu colo a ele. E então, Luke para de chorar...
Luke queria o colo da mãe, a presença física da mãe, seu calor e as batidas do seu coração. Nesse momento, Polly percebe que, ainda que Luke não durma no horário que ela havia planejado, nem da maneira como havia pensado, uma coisa valiosa acontece: ela está tranquila com sua decisão. Aquela velha história de "o caminho escolhido tem um coração?"...
E por trás de uma mãe tranquila com sua decisão, há, com certeza, um bebê tranquilo.
Polly, então, passa a rever o seu percurso e chega à conclusão de que o erro estava no sonho. Porque embora fosse um sonho lindo, ele pecava em um ponto: desconsiderava totalmente o próprio bebê e sua personalidade. Em nenhum momento se pensou que aquele bebê não conhecia a rotina do lar onde ele chegou, como acontece exatamente com todos os bebês. Ele poderia se adaptar. Ou não. E o fato de se adaptar rapidamente não o torna um super bebê expert pró-master versão uploaded. Ou, ao contrário, o fato de não se adaptar não faz dele um bebê-problema.
Ele apenas é assim. Não quer dormir, quer ficar com a mãe, quer colo. Eu o entendo: colo de mãe é mesmo coisa boa demais.
Mas como é que fica aquele papo de que deixar chorar até que durma funciona mesmo?
Se funciona?
Claro que funciona!
Funciona sim.
E eu vou te explicar porque funciona.
Para isso, façamos algumas analogias.

  1.  Um amigo seu pede para que você faça um grande favor a ele, coisa que vai demandar tempo, esforço e deixar suas próprias coisas de lado para ajudá-lo. Você faz de bom grado. Terminada a tarefa, seu amigo dá  tchau e vai-se embora, sem sequer agradecê-la ou abraçá-la. Qual a chance de você ajudá-lo novamente?
  2. Você conquista uma grande vitória no trabalho, chega em casa animada, feliz, e compartilha com seu companheiro a sua alegria. Conta tudo, nos mínimos detalhes. Assim que termina de contar, seu companheiro diz: "Dá um passinho pro lado, por favor? Tá passando Palmeiras e Santos". Qual a chance de você fazer a mesma coisa no dia seguinte, e no outro, e durante toda a semana?
  3. Uma amiga querida combina de te ligar para um café, já que faz tempo que quer te reencontrar. Ela liga uma vez, liga duas, liga três, liga quatro, liga cinco, mas você nunca pode. Qual a chance dela continuar tentando?
  4. Um aluno de 8 anos, em meio à aula, cria coragem e levanta a mão para fazer uma pergunta à professora. Ele pergunta e, na sequência, a professora vira as costas e continua falando sobre o que estava falando antes. Qual a chance dessa criança perguntar novamente?
  5. Você votou em um candidato político. Durante seu mandato, ele foi condenado pela justiça, teve seu impeachment decretado e ficou sem poder se candidatar por anos, por ter roubado uma imensa quantia de dinheiro que era destinada para projetos que ajudariam a melhorar a qualidade de vida dos cidadãos brasileiros. Qual a chance de você votar nele novamente? (Ok, Brasil, pule para a próxima questão, não precisa responder...)

Ok. Acho que deu pra entender a semelhança em todos esses casos, não?
Sabe por que a chance de que esses mesmos comportamentos aconteçam novamente é mínima?
Porque aconteceu o que chamamos de EXTINÇÃO do comportamento.
A extinção de um comportamento acontece quando uma resposta deixa de ser reforçada, ou seja, quando há OMISSÃO do reforço. No caso do aluno de 8 anos que fez uma pergunta, por exemplo, o reforço para que ele continuasse participativo e interessado seria a professora ter dedicado atenção e empatia para responder ao seu questionamento. Como o reforço não aconteceu, então aquele comportamento tende a ser EXTINTO. Ou seja, é um procedimento eficaz para obter a diminuição gradual de algo. "Ahhh, olhaí! Viu?! Então, se eu quero que meu filho pare de chorar e aprenda a dormir, o processo de EXTINÇÃO do comportamento, por meio de não acalentá-lo, não pegá-lo no colinho, está certo mesmo! Ele vai parar de chorar e, enfim, irá dormir!".
Calma, amiga, ainda não terminamos. É preciso saber tudo sobre o processo...

Volte aos exemplos de 1 a 5 e responda: o que terá sentido aquela pessoa cujo comportamento não obteve resposta e que, provavelmente, também será extinto?
Como essa pessoa se sentiu? O que sentiu no momento em que a resposta que ela esperava que acontecesse, não aconteceu? É bom esse sentimento? Ele dá origem a boas coisas?
Como você se sentiu quando seu amigo não te agradeceu ou abraçou e como ficou sua relação com ele depois?
Como você se sentiu quando seu companheiro ou companheira não te deram o retorno emocional que você esperava nesse momento importante da sua vida? Será que rolou um DR depois?
Como será que sua amiga se sentiu - ou se sente - sabendo que você não consegue destinar um tempo a ela?
Como se sentiu o gurizinho de 8 anos quando a professora virou as costas à sua dúvida?
Como você se sentiu quando o seu candidato te roubou, e aos seus amigos, e aos seus filhos, e àqueles que passam dificuldades?
Não. Não são bons sentimentos...

Essa é a dimensão do problema.
Se deixar chorar funciona? Claro que funciona. Um comportamento realmente se extingue quando a resposta esperada não vem. Quando um bebê chora por algumas horas, por alguns dias, querendo o colo da mãe e a mãe, porque está colocando em prática um método que promete salvá-la, não dá aquilo que o bebê pede, ele tende a parar de chorar mesmo.
Agora, como será que ele se sente? O que te faz crer que a frustração e chateação que você sente quando não recebe resposta é diferente da dele?
Onde entra a Regra de Ouro nessa relação? Aquela, que sugere que tratemos os outros da maneira como queremos ser tratados (sádicos, vão dar uma voltinha agora, essa pergunta não é para vocês).

Os métodos baseados na extinção do comportamento realmente são válidos. Quase sempre.
Mas será mesmo que devem ser utilizados sempre, como um "guia"?
Pollyana não conseguiu. Ela se sentiu ferida por imaginar que os sentimentos do seu filho também poderiam estar sendo feridos.

Nesse método baseado em tentar extinguir o comportamento de chorar daquele bebê, podem acontecer alguns problemas, totalmente previstos pela teoria psicológica.
Um exemplo: se a mãe decidiu (mesmo que ela mesma esteja sofrendo com isso) ignorar o choro, ou não pegá-lo no colo, deixando o bebê chorar até que durma, mas o pai não conseguiu, ou a avó, ou a amiga, ou qualquer pessoa por perto que se sentiu aflita com o choro, e essa pessoa invadiu o quarto e pegou a criança no colinho, PREVEJA O EFEITO DISSO. A criança sabe que pode ser acalmada por um colinho, a família sabe que pode acalmar o bebê com o colinho, e o bebê sabe quem deu e quem não deu o colinho. E se você acha que, assim, está criando um tirano: desculpe, mas não é ele quem está no lado negro da força. Não acho muito coerente demonizar as crianças quando somos nós quem estamos negando acolhimento para que "aprendam o que queremos que aprendam, com base no nosso sonho ilusório".
Outra questão: a própria teoria afirma que, em algumas situações, pode ser cruel privar aquele indivíduo da atenção da qual precisava - e o CHORO é uma dessas situações. Porque o choro é um claro sinalizador de que algo não vai bem, indica dor, sofrimento emocional ou outra necessidade. Se uma criança está chorando e já é possível dialogar com ela, então que façamos isso. Mas um bebê tem no choro sua principal forma de comunicação. Não parece muito razoável que os ensinemos a deixarem de se comunicar quando precisam de algo, não é?
Uma última questão: o método da extinção do comportamento apresenta mais um ponto delicado. O processo de extinguir um comportamento (em nosso caso, o choro que antecede o dormir sozinho) pode produzir agressividade. Ah vá, que ninguém te contou?!
Por agressividade não estamos considerando somente a violência em si, mas a amplificação do comportamento que se quer extinguir. Ou seja: se o bebê foi deixado chorando, com a esperança de que, omitindo o acolhimento físico, ele vá se acostumar e finalmente dormir, esteja preparada para o fato de que ele pode, SIM, chorar ainda mais, no lugar de simplesmente dormir. Essa é uma situação prevista pela teoria.

É isso.
Se o método funciona?
Claro que funciona.
Ele para de chorar por extinção do comportamento e, com o tempo, dorme sem chorar - ainda que sua mãe não o embale - por condicionamento. A mãe o condicionou a isso. E ele não chora mais quando colocado para dormir sozinho porque aprendeu que não adianta chorar que sua mãe não vai pegá-lo no colo. Se alguém te disse que o que ele aprendia era "a dormir", te enganaram...
As teorias psicológicas não são mera teorização. Nossos comportamentos cotidianos, dos mais simples aos mais complexos, podem ser explicadas por elas.
Mas há que se ter sempre em mente os resultados das escolhas.
Sempre.
Não é ético ignorar uma parte do processo apenas porque ele não é tão bonito quanto você esperava que fosse. Também não adianta fingir que não existe.
O ideal é conhecer a fundo tudo, para que se possa escolher.
Polly não nasceu sabendo ser mãe - assim como todas as suas amigas. E as amigas das amigas.
Mas Polly preferiu ouvir seu coração que, de certa forma, é muito mais coerente com o que acontece no íntimo do seu bebê. Polly pegou para si a RESPONSABILIDADE de ser guiada por seu sentimento em relação ao filho. E pegar para si a responsabilidade disso é assumir os riscos inerentes. Porque uma coisa é dizer: "Mas eu só fiz o que o livro mandou" e outra bem diferente é dizer: "Sim, eu fiz porque eu quis, porque assim senti que devia fazer". Ainda assim, para Polly, foi muito mais tranquilizador do que simplesmente seguir um método que - SIM! - funciona.
Às custas de que? Aí é outra história. Que não é todo mundo que quer contar não...
Hoje, Polly e Luke (ou Padmé) vivem mais conectados. Luke sabe que, na hora de dormir, pode contar com o colinho de sua mãe.
Ainda que ele não durma do jeito que ela sempre sonhou...


E quem disse que nossos sonhos contêm aquilo do que realmente precisamos para sermos felizes?
Afinal, é na vida - e não no sonho - que vivemos.
Cuidado você deve ter, com fórmulas e métodos que salvadores se dizem. E também com os que, de manipuladores, as crianças chamam .

Extraido de:
http://www.cientistaqueviroumae.com.br/2012/09/por-que-deixar-chorar-ate-que-se-durma.html

Efeito vulcanico

 Meninas, estou lendo muito esses dias. Segue um artigo muuuuito legal. Vale a pena:

O Efeito vulcânico: por que sono inadequado durante o dia (falta de sonecas ou sonecas curtas) resulta em extrema irritação e luta contra o sono?

Conheça a fisiologia do sono dos bebês e entenda porque às vezes você erra pensando que está acertando.

Sono é uma necessidade básica da existência humana. Sono adequado é necessário para que bebês descansem, se desenvolvam e para que os hormônios do crescimento atuem e suas necessidades dependem de idade e maturidade. Na primeira infância, os padrões e características do sono são diferentes dos adultos. Vamos discutir um pouco da fisiologia do sono de bebês a partir dos seguintes princípios (1, 2):

1. Como adultos dormem: adultos adormecem e entram primeiro em sono profundo "não-REM" (REM da sigla em inglês para “movimentos rápidos dos olhos”), no qual a respiração é superficial e regular e os músculos estão relaxados. Cerca de 1 hora e meia depois, se passa para o sono leve ou ativo (sono REM), no qual os olhos se movem sob as pálpebras enquanto o cérebro se “exercita”: sonhamos e nos movimentamos, podemos até ir ao banheiro e não lembrar de nada. Esses ciclos de sono leve e profundo continuam se alternando a cada 2 horas, em média, ao longo da noite. Resultado: dormimos cerca de seis horas de sono tranquilo e duas horas de sono ativo.

2. Como bebês adormecem: bebês não têm maturidade para adormecerem sozinhos, sem ajuda, e precisam dos pais para isso (embora alguns bebês aceitem ser postos sonolentos no berço). Precisam de um ritual de sono repetitivo, que inclui contato corporal, como embalo, amamentação ou outro. Seus olhos se fecham, sua respiração fica irregular e ele pode se assustar, contrair os músculos e sorrir rapidamente, o chamado "sorriso do sono", e pode continuar a sugar com a boca tremendo. Então, você tenta transferi-lo para o berço e ele acorda imediatamente! Isso acontece porque ele não estava completamente adormecido e, sim, ainda no estágio de sono leve. Tente fazer todo o ritual acima, mas espere mais tempo (cerca de 20 minutos) até que entre em sono profundo: pare de sorrir, a respiração se torne regular e superficial e os músculos relaxem (punhos se abrem e braços e pernas ficam “pendurados”).

Portanto: adultos geralmente vão direto para o estágio de sono profundo, enquanto que bebês começam no estágio de sono leve.

3. Bebês têm ciclos de sono mais curtos que adultos: cerca de uma hora depois de adormecer, o bebê volta à fase de sono leve: começa a se movimentar, parece que vai sorrir, sua respiração torna-se irregular. Essa transição entre sono profundo e sono leve é um período vulnerável a despertares. Muitos bebês acordarão, então, se houver algum estímulo desconfortável ou irritante (fome, sede, barulhos e outros). Se ele não acordar, permanecerá em sono leve durante os próximos 10 minutos e retornará novamente para o sono profundo. Enquanto que os ciclos de sono dos adultos (passagem de sono leve para profundo e depois de volta ao sono leve) duram em média 90 minutos, os ciclos de sono dos bebês são mais curtos, têm de 50 a 60 minutos. Isto significa que os períodos vulneráveis para acordarem à noite acontecem a cada hora, em média. Nesse período vulnerável, você pode colocar uma mão carinhosa em suas costas ou permanecer ao seu lado se ele estiver na sua cama para ajudá-lo a superar esse período de sono leve sem acordar. Concluindo: alguns bebês precisam de ajuda para adormecerem novamente no período vulnerável a despertares entre os ciclos de sono.

4. Bebês não dormem tão profundamente quanto você: ou seja, bebês levam mais tempo para adormecer e têm mais períodos vulneráveis para acordar (cerca do dobro dos adultos). Isso parece injusto com os pais cansados depois de um longo dia cuidando deles. Entretanto, veja o próximo item e entenderá que essas acordadas mais frequentes existem por uma razão vital e que manipular o ritmo natural de sono do bebê pode não ser de seu melhor interesse (então pense bem antes de adotar métodos de "treinamento de sono" com técnicas e apetrechos).

5. Acordar durante a noite traz benefícios à sobrevivência: no início da vida do bebê suas necessidades estão no limite máximo, mas sua habilidade de comunicá-las é mínima. Vamos supor que um bebê dormisse profundamente a maior parte da noite, isso significa que algumas necessidades básicas não seriam supridas. Seus estômagos são diminutos e mamadas frequentes e em livre demanda são as únicas formas de atender todas as suas necessidades nutritivas e emocionais. Além disso, o leite materno é digerido com rapidez. Se a fome não fizesse o bebê acordar facilmente, isso seria um risco para sua sobrevivência. Da mesma forma, se uma dificuldade respiratória ou um ambiente frio não acordassem o bebê e ele não pudesse comunicar tais necessidades, sua sobrevivência estaria em jogo. Bebês, então, têm mais períodos vulneráveis ao sono, acordam mais, demoram mais para dormir. Parece até injusto, mas assim foram programados e há pesquisas que comprovam que o sono ativo os protege (3). Então, encorajar um bebê a dormir profundamente demais, cedo demais, pode não servir ao melhor interesse de sua sobrevivência e seu desenvolvimento.

6. Acordar durante a noite tem seus benefícios em termos de desenvolvimento: pesquisas mostram que o sono leve ajuda o cérebro a desenvolver-se (4), pois o fluxo sanguíneo até o cérebro quase dobra durante o sono REM (aumento mais evidente na área do cérebro que controla automaticamente a respiração). Durante o sono REM, o organismo trabalha na produção neurológica e acredita-se que o cérebro usa esse período para processar informações adquiridas durante o dia. No estágio de sono leve, os centros mais elevados do cérebro permanecem operando, mas durante o sono profundo esses centros são desligados e o bebê é mantido através dos centros inferiores do seu cérebro. É possível que durante o estágio de crescimento rápido do cérebro (o cérebro dos bebês cresce até cerca de 70% do volume adulto durante os primeiros dois anos), o cérebro precise continuar funcionando durante o sono para desenvolver-se. É interessante notar que prematuros passam ainda mais tempo do seu sono (aproximadamente 90%)  em REM, talvez para acelerar o crescimento cerebral (5). Então, o período da vida que humanos dormem mais e o seu cérebro se desenvolve mais é quando têm o sono mais ativo.

7. À medida que crescem, os bebês atingem a maturidade do sono: Tudo bem, já entendemos isso, mas a pergunta que não quer calar é: quando, afinal, meu bebê dormirá a noite toda? A verdade é que essa idade varia enormemente entre os bebês. Nos primeiros 3 meses de vida, bebezinhos raramente dormem por mais que 4 horas seguidas sem precisarem de uma mamada. Mesmo assim, eles dormem um total de 14-18 horas por dia. Entre 3 e 6 meses de idade, a maioria fica acordada por períodos maiores durante o dia e alguns podem até dormir por 5 horas seguidas durante a noite (e isso é chamado ‘dormir a noite toda’ para um bebê). Tenha em mente que outros pais geralmente exageram quanto ao padrão de sono de seus bebês, como se isso fosse um distintivo de "boa maternagem", quando, na verdade, não é.

8. Bebês ainda acordam conforme vão se desenvolvendo: apesar de atingirem uma maturidade de sono até o final do primeiro ano, muitos ainda acordam por vários motivos, tantos físicos como psicológicos. Acontecimentos importantes no desenvolvimento, como sentar, engatinhar, caminhar, levam os bebês a "praticarem" suas novas habilidades enquanto dormem. Então, entre um e dois anos de idade, quando o bebê começa a dormir durante os estímulos para acordar acima mencionados, outras causas levam-no a acordar durante a noite, como ansiedade de separação e pesadelos. Para revisar com detalhes as fases de crescimento e desenvolvimento que interferem no sono do bebê veja o artigo sobre o tema (6). Finalmente, outro fator que pode fazer uma diferença na qualidade de sono é sua alimentação. Para maiores informações, ler o artigo “Comer bem para dormir bem” (7).

Agora que já sabemos essas lições essenciais do sono de bebês, vamos discutir a influência do sono diurno (sonecas) no sono noturno. Conforme a criança cresce e ganha maturidade, a quantidade de tempo que consegue ficar acordada e feliz aumenta. Assim, um bebê recém nascido só consegue ficar acordado de 1 a 2 horas antes que o cansaço se instale, enquanto que uma criança de 2 anos consegue durar até 7 horas acordada antes de precisar de uma soneca. Mas apenas após os 4 ou 5 anos de idade (as vezes mais) a criança consegue passar o dia todo sem sonecas e feliz, conforme a tabela e figuras abaixo.

Idade e tempo médio que crianças aguentam acordadas e felizes entre sonecas
Recém nascido    1 - 2 horas
6 meses    2 - 3 horas
12 meses    3 - 4 horas
18 meses    4 - 6 horas
2 anos    5 - 7 horas
3 anos    6 - 8 horas
4 anos    6 - 12 horas
Gráfico de Horas de Sono e Sonecas por idade
Tabela e Figura 1. Tempo médio necessário de sono noturno e diurno, por idade. Como se tratam de médias, variações são comuns e esperadas.

Então, imagine que pela manhã a criança acorda totalmente restaurada, cheia de energia, mas que conforme as horas passam, aos poucos, os benefícios do sono da noite passada são esgotados e ela precisa dormir novamente. Quando entendemos isso e não deixamos a criança ficar muito tempo acordada (“passar do ponto”, como costumamos dizer), e a colocamos para tirar uma soneca assim que percebermos sinais de sonolência, fortalecemos os benefícios do seu reservatório de sono, permitindo que ela ‘recomece’ o dia cheia de energia após cada período dormindo.

Por outro lado, quando não percebemos os sinais de sono (bocejar, esfregar olhos, perder interesse no ambiente, olhar parado, como “hipnotizado”, chorar, puxar cabelos e orelhas, algumas vezes até gritar), e não as ajudamos a adormecer quando os primeiros sinais aparecem (fazendo um ritual de soneca simples, porém repetitivo, com ambiente apropriado: escuro e com sons estáticos ao fundo), ou quando as “forçamos” a ficarem acordadas além de suas necessidades biológicas sem uma soneca, elas ficam exaustas, chorosas e infelizes.

Conforme os números acima, bebês novinhos aguentam um breve espaço de tempo acordados e a pressão do sono já chega, apenas entre 1-3 horas depois de despertos. Por isso é que recém nascidos dormem várias sonecas ao dia e bebês novos requerem 2-4 sonecas diárias. Conforme o tempo, os ciclos de sono do bebê ganham uma maturidade e eles são capazes de ficar acordados mais tempo entre sonecas.

Vale à pena reforçar também que, para serem restauradoras, as sonecas devem durar 1 hora no mínimo (para completarem as fases do ciclo de sono). Isso a partir de 3-4 meses, pois antes disso o padrão de sono é muito imaturo. Além disso, recém nascidos geralmente dormem em ambientes barulhentos e com atividades ao redor, mas conforme crescem, ambientes barulhentos e claros são distrações que interferem na habilidade do bebê adormecer.

Aliás, pesquisas sugerem que até adultos se beneficiariam de uma soneca no meio do dia ou pelo menos uma pausa para descansar (8).

Então o que é esse tal de ‘efeito vulcânico’?

Conforme o dia passa e a pressão do sono se instala, a criança fica mais irritada, chorosa e menos flexível, tem menos paciência, perde a concentração e habilidade de aprender e absorver novas informações.  O termo científico para esse processo é "pressão de sono homeostática". Elizabeth Pantley, em um de seus livros especificamente sobre sonecas (9) chama esse fenômeno de ”efeito vulcânico”, que é o que adotamos também. Todos já vimos esses efeitos em bebês ou crianças. É tão claro como assistir um vulcão entrar em erupção. Observamos uma criança chorosa e irritada e pensamos: "É sono, precisa de uma soneca!"

Sem o descanso da soneca a pressão homeostática continua se acumulando até o final do dia, crescendo e se intensificando, como um vulcão, até que a criança estará completamente exausta, elétrica e incapaz de parar a explosão. O resultado é uma batalha intensa na hora de dormir com uma criança exausta, ranzinza ou um bebê que não consegue adormecer, não importando o quão cansado esteja!

Isso acontece por que o cortisol, hormônio que sinaliza a vigília, é liberado em quantidades maiores quando a pressão do sono se instala e o descanso não ocorre. Cortisol também é o ‘hormônio do estresse’ que é liberado quando o bebê ou a criança chora (secretado em quantidades potencialmente danosas ao cérebro quando o choro não é consolado e prolongado) (10-15). Cortisol antagoniza os efeitos da serotonina e melatonina, substâncias responsáveis pelo sono. Ou seja, quanto mais tempo acordada, mais cortisol em seu corpinho, mais choro de irritação, que libera mais cortisol ainda, e mais dificuldades de dormir, além de poder acordar muito cedo também pela manhã no dia seguinte.

Apesar de parecer paradoxal aos olhos de um adulto, isso explica porque a criança muito exausta, ao invés de adormecer facilmente, luta contra o sono (figura 2).

Progressão do efeito vulcânico no organismo.

Figura 2. Progressão do efeito vulcânico no organismo.

Pior ainda, uma criança que perde sonecas dia após dia acumula privação de sono que a põe no estágio do “vulcão em erupção” mais e mais rápida e facilmente. E pior ainda é se ela está perdendo sonecas e também não tem uma boa qualidade ou quantidade de sono noturno!

Vale lembrar que o efeito vulcânico não acontece só em crianças, mas afeta adultos também, por isso nos vemos ranzinzas e irritados no final de um longo dia e quando as crianças estão irritadas e sonolentas o resultado é uma fileira inteira de vulcões explodindo!

A pressão de sono pode ser intensificada por problemas do ambiente como: noite de sono passada ruim (déficit de sono prévio), estresses diários, mudança na rotina, visitantes, dentes nascendo, doenças e outros. Mais ainda, o estado de espírito de cada pessoa afeta os outros, causando um mau humor contagioso, especialmente em bebês, que são muito especialmente sensíveis ao nosso estado de espírito.

O conceito do vulcão traz ainda outra observação importante: sonecas de qualidade podem compensar por sono noturno perdido, mas tempo extra de sono noturno NÃO compensa sonecas perdidas (devido ao conceito de pressão de sono homeostático). Portanto, não importa se a criança dormiu bem à noite ou não, suas sonecas diárias são importantíssimas para liberar a pressão de sono em ascensão.

O que fazer para sair desse ciclo vicioso?

Algumas mães relatam que passam o dia todo tentando fazer seu bebê dormir, e muitas vezes isso acontece porque desconhecem o tempo médio que aguentam permanecer acordados fisiologicamente. Então eles “passam do ponto” ou entram em efeito vulcânico frequentemente. Deixam os bebês acordados até tarde da noite, não permitem que tirem sonecas por acreditarem que dormiriam melhor a noite (quando, na verdade, é o oposto), ou tiram sonecas rápidas, de meia hora ou menos, que não completam as fases do ciclo de sono e não são restauradoras. É um ciclo vicioso, uma bola de neve que se inicia logo pela manhã: quanto menos sono nos momentos apropriados, mais dificuldades para os sonos a seguir.

Então, a melhor estratégia para lidar com isso é prevenir que o efeito vulcânico se instale. Em primeiro lugar, investindo na qualidade das sonecas e ajudando o bebê a tirar sonecas restauradoras. Pode-se fazer isso da maneira mais eficiente que a mãe encontrar de adormecer o bebê, e não se esquecendo de proporcionar um ambiente apropriado ao sono (como já dito acima, um ambiente escuro e com sons estáticos ao fundo é o ideal). Sons estáticos são sons repetitivos e que conduzem ao sono, os quais o bebê já está acostumado a ouvir no útero materno, como, por exemplos: som do mar, chuva, oceano, ar condicionado, ventilador, secador de cabelo, rádio fora de sintonia e outros. Uma dica: grave um CD com este tipo de som e toque durante toda a duração da soneca e a noite toda também. Até nós adultos nos beneficiamos disso. Quem não dorme bem quando chove lá fora ou tira uma bela soneca numa rede a beira-mar?

Se for preciso esticar as sonecas colocando o bebê para dormir novamente no meio da soneca, faça-o, pois esse é um aprendizado que o bebê não faz sozinho, ele depende da nossa ajuda. Se o bebê dormir melhor no seu colo ou mamando ou precisar ser embalado novamente, que seja. É importante evitar a progressão do efeito vulcânico e um bebê exausto precisa mais do que nunca de ajuda para adormecer. Novamente, um ritual de sono noturno condutivo ao sono também é importante e é benéfico que as crianças durmam cedo, pois têm tendência a acordar cedo.

A espécie humana é uma das que nascem mais precocemente no reino animal, até entre os primatas. Isso porque o "preço" da nossa inteligência, o cérebro enorme (que foi evoluindo por milhões de anos), não poderia terminar de se desenvolver no útero da mãe ou o parto não seria possível, em conjunção com outro fator evolutivo: nos levantamos e andamos, somos bípedes. Fato é que bebês nasceram neurologicamente inacabados! São dependentes e precisam de nossa ajuda, toque, carinho, atenção, ser atendidos quando choram, receber colo, ajuda para dormir quando precisam.

Em outras palavras, o bebê sente um mal estar, mas não sabe identificar a causa, não entende que é sono, não sabe como resolver esse problema (ou seja, dormindo), não sabe como pegar no sono, e só tem a linguagem do choro para comunicar suas necessidades (físicas e emocionais).

Para concluir: uma rotina com sonecas estáveis e restauradoras é muito importante, com um ritual de sono noturno que conduza ao sono. O que mais importa, então, é o intervalo entre sonecas e não o horário propriamente dito (lembrando que o intervalo que aguentam acordados vai aumentando conforme sua maturidade).

extraido de:
http://guiadobebe.uol.com.br/o-efeito-vulcanico-por-que-sono-inadequado-durante-o-dia-falta-de-sonecas-ou-sonecas-curtas-resulta-em-extrema-irritacao-e-luta-contra-o-sono/